Anjos da Esperança: Doação de Sangue - Doação de Órgãos e Tecidos - Doação de Sangue - Doação Medula Óssea

Depoimentos Voltar

"Somos todos anjos de uma só asa..."

Em nossa vida sempre temos dois caminhos, duas escolhas!
No contexto em que vivemos nos acostumamos repetir e aceitar a expressão "cada um com seus problemas", dessa forma nos isentamos de qualquer responsabilidade com os demais indivíduos que vivem ao nosso redor, às vezes até mesmo daqueles próximos ao nosso convívio (dentro de nossas casas).
Ao contrário desse ditado, comodista, a todo momento, nos deparamos com situações em que nossos problemas são, também, problemas dos outros. Podemos escolher: assumir ou, simplesmente fazer de conta de que não temos nada a ver com isso!
O que me faz escrever essas palavras é uma situação em que se encontram várias pessoas, jovens, idosos e crianças, precisando de você! E, você, tem duas escolhas..., mas se perceber a gravidade do problema tenho certeza de que vai assumí-lo como sua causa!
Refiro-me aos portadores de doenças que necessitam de TRANSPLANTE DE MEDULA.
É difícil ter a consciência, de que a vida de uma pessoa depende de um ato simples de solidariedade e amor ao próximo, e permanecer imóvel, estático, esperando que outros resolvam. Acho que as pessoas não tem a dimensão do que isso significa: É SER CAPAZ DE DOAR VIDA. Cada um de nós carrega consigo a possibilidade da cura. Não acredito que, por comodidade, não se queira ajudar, pois só "comodismo" justificaria uma falta de atitude em relação a isso! Falta de tempo, dificuldade de deslocamento, desconhecimento, são razões tão banais para desculpar-se por não tentar salvar uma vida. Se você conseguir transpor-se a qualquer barreira, no final, sentirá, que todas elas, somos nós mesmos quem as colocamos.
Uma causa nobre requer qualquer esforço! Não espere acontecer com alguém próximo para tomar essa atitude, para tomar o problema como seu!

Espero, que ao ler essas palavras, escolha pelo caminho da VIDA!
E, lembre-se..." SOMOS TODOS ANJOS DE UMA SÓ ASA...

SOMENTE ABRAÇADOS PODEREMOS VOAR!"

Sou mãe do Vitor - transplantado em 2007 - escrevo com conhecimento de causa! Vivemos o drama da necessidade de um transplante, da espera, da angústia por não ter o que fazer, a não ser esperar pela busca do doador compatível! No nosso caso fomos muito felizes por encontrar a esperança de vida! Penso naqueles que ficaram pelo caminho com dúvida, por não terem tido sequer a oportunidade de tentar!
Ao olharmos para trás vemos o quanto o gesto de "alguém” nos fez tão feliz: foi esperança, alegria, fé, solidariedade traduzidos em uma "bolsinha".