Anjos da Esperança: Doação de Sangue - Doação de Órgãos e Tecidos - Doação de Sangue - Doação Medula Óssea

Doação de Medula Óssea

Seja um doador

Para ser doador

Quem pode doar?
Qualquer pessoa que tenha entre 18 e 55 anos, e que esteja em bom estado geral de saúde. A única restrição é para quem fez tratamento de radioterapia ou quimioterapia, ou ser HIV positivo. Quer dizer, se você tem anemia, diabetes, colesterol, etc, não tem problema. Pode procurar o hemocentro mais próximo e cadastrar-se normalmente.
Será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue ( +- 5ml) , e preenchida uma ficha com informações pessoais.
Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro e seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários.
Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação.

ANTES DE SE CADASTRAR TENHA CONSCIÊNCIA DE QUE O ATO DA DOAÇÃO PODE SALVAR UMA VIDA!!! EM ALGUNS CASOS O TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA É A ÚNICA ESPERANÇA DE CURA PARA DOENÇAS HEMATOLÓGICAS.

Como é o transplante para o doador?
Antes da doação, o doador faz um rigoroso exame clínico incluindo exames complementares para confirmar o seu bom estado de saúde. Não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. A doação é feita em centro cirúrgico, sob anestesia, e tem duração de aproximadamente duas horas. São realizadas múltiplas punções, com agulhas, nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula. Retira-se um volume de medula do doador de no máximo 15%. Esta retirada não causa qualquer comprometimento à saúde.

Quais os riscos para o doador?
Os riscos são poucos e relacionados a um procedimento que necessita de anestesia, sendo retirada do doador a quantidade de medula óssea necessária (máximo 15%). O procedimento de doação requer internação de 24 horas. Dentro de poucas semanas, a medula óssea do doador estará inteiramente recuperada. Uma avaliação pré-operatória detalhada verifica as condições clínicas e cardiovasculares do doador visando orientar a equipe anestésica envolvida no procedimento operatório.

O que é compatibilidade?
Para que se realize um transplante de medula, é necessária uma total compatibilidade entre doador e receptor. Caso contrário, a medula será rejeitada. Esta compatibilidade é determinada por um conjunto de genes localizados no cromossoma 6, que devem ser iguais entre doador e receptor. A análise de compatibilidade é realizada por meio de testes laboratoriais específicos, a partir de amostras de sangue do doador e do receptor, chamados de exames de histocompatibilidade. Com base nas leis de genética, a chance de um indivíduo encontrar um doador ideal entre irmãos (mesmo pai e mesma mãe) é de 25% .

O que fazer quando não há um doador compatível?
Quando não há um doador aparentado (no caso um irmão ou parente próximo, geralmente um dos pais), a solução para o transplante de medula é fazer uma busca nos registros de doadores voluntários, tanto no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME) como nos do exterior. No Brasil, a mistura de raças dificulta a localização de doadores compatíveis. Mas hoje já existem mais de 12 milhões de doadores em todo o mundo. No Brasil, o REDOME tem mais de 1,4 milhões de doadores.

O que é o REDOME
Para reunir as informações (nome, endereço, resultados de exames, características genéticas) de pessoas que se voluntariam a doar medula para pacientes que precisam do transplante foi criado o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), instalado no Instituto Nacional de Câncer (INCA). Um sistema informatizado cruza as informações genéticas dos doadores voluntários cadastrados no REDOME com as dos pacientes que precisam do transplante. Quando é verificada compatibilidade, a pessoa é convocada para realizar a doação.

Importante: um doador de medula óssea deve manter seu cadastro sempre atualizado. Caso haja alguma mudança de informação, preencha este formulário.

Folheto: saiba como ser um doador voluntário de medula óssea

Fonte: Inca - Instituto Nacional de Câncer (http://www.inca.gov.br/)